Seu chefe é torturador, autocrático, amoroso ou participativo? Leia e descubra

 

No processo de modernização da gestão empresarial, não há mais espaço para a grosseria, para aqueles que aumentam a tensão e o estresse no ambiente de trabalho. O bom andamento da gestão ocorre quando se combina a presença de líderes amorosos e participativos. Veja abaixo:

Líder torturador

  • Sarcástico, zomba ou usa a ironia no relacionamento com as pessoas;
    • Temperamental, por mudar rapidamente de humor e se tornar uma pessoa de difícil convivência;
    • Radical, ou seja, é intransigente em sua opinião e intolerante com opiniões contrárias à sua;
    • Oportunista, tira proveito da situação em prol de seus interesses;
    • Duro, ou seja, severo e áspero com as pessoas;
    • Agressivo, por tratar as pessoas com hostilidade.

Líder autocrático

  • Manda, proíbe, ameaça, exige e castiga;
    • Autoritário, concentra o poder de decisão;
    • Dita sozinho as normas e atividades;
    • É autossuficiente;
    • Não promove o aparecimento de novas lideranças;
    • Não estimula a iniciativa.

Líder amoroso

  • Cuidadoso, é uma pessoa solícita e que pensa nas demais pessoas da equipe;
    • Educado, ou seja, é gentil e respeitoso na usa forma de falar e agir;
    • Filosófico, ao repousar sua forma de agir em valores e na ética;
    • Entusiasmado, transmite empolgação e força de vontade;
    • Idealista, por crer no valor da ética, da moral, da bondade e da solidariedade;
    • Imaginativo, ou seja, que tem muitas ideias e planos.

Líder participativo

  • Valoriza as ideias e iniciativas;
    • Coordena, envolve, promove a participação e a cooperação;
    • Cria um clima de liberdade, de comunicação aberta e a verdadeira integração;
    • Favorece o surgimento de novas lideranças;
    • Compartilha o poder de decisão

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *